Auto Truck CPM Interno

Notícias

Alberto Fernández e Cristina Kirchner comemoram soltura do ex-presidente Lula

Por Agência Estado, 08/11/2019 às 20:28
atualizado em: 08/11/2019 às 20:59

Texto:


O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, voltou a usar o Twitter para elogiar o ex-presidente Lula, como já havia feito na noite dessa quinta-feira (7). Ele disse ser comovente a "fortaleza de @LulaOficial" para enfrentar essa "perseguição" que, segundo ele, é a definição do "processo judicial arbitrário a que foi submetido". "Sua fortaleza demonstra não apenas o compromisso, mas também a imensidão desse homem", escreveu.

Sua vice na chapa e ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner também foi ao Twitter comentar a liberdade do político aliado. "Cessa hoje uma das maiores aberrações da lei na América Latina: a privação ilegal da liberdade do ex-presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva", escreveu.

Lula saiu nesta sexta da sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde estava preso há um ano e sete meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele foi beneficiado por uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na véspera, de que as penas só sejam cumpridas após o esgotamento de todos os recursos legais, o chamado trânsito em julgado.

Ainda na noite de quinta, após a decisão do STF, Fenández já havia festejado a medida. Em sua conta pessoal no Twitter, o político comemorou como uma vitória e escreveu a hashtag "LulaLivreAmanhã".

"O Supremo Tribunal Federal do Brasil decidiu que as condenações à prisão somente são executáveis uma vez que os recursos tenham se esgotados. É a mesma coisa que nós temos reclamado na Argentina há alguns anos. Valeu a pena a demanda de muitos! #LulaLivreAmanhã!", escreveu.

Peronista moderado e pragmático, Fernández foi a surpresa da eleição na Argentina, despontando como favorito em agosto, ao obter 48% dos votos nas primárias, impulsionado por Cristina e uma oposição peronista unificada. Eles venceram a eleição e, no dia da vitória, Fernández gritou "Lula Livre" para seus eleitores.

Moção de repúdio

Depois de eleito presidente, ele voltou a pedir a libertação de Lula e foi criticado pelo presidente Jair Bolsonaro, que ficou indignado com a atitude do argentino. "Não tenho bola de cristal, mas acho que a Argentina escolheu mal. O primeiro ato de Fernández foi 'Lula Livre', dizendo que está preso injustamente. Já disse a que veio", disse Bolsonaro na época.

Na quarta-feira, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara aprovou uma moção de repúdio Fernández por defender a liberdade de Lula. O colegiado é presidido pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que divulgou em seu Twitter a justificativa do pedido contra o argentino.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link