Notícias

Careca é decisivo de novo e garante título de 1990

Por Alexandre Simões, 03/06/2020 às 10:51
atualizado em: 03/06/2020 às 10:54

Texto:

Foto: Reprodução/ TV
Reprodução/ TV

No final da década de 1980, o meia-atacante Careca foi o grande carrasco cruzeirense no clássico. E ele encerrou essa história com um gol do título. De cabeça, aos 10 minutos do segundo tempo, ele garantiu o 1 a 0 que deu ao Cruzeiro a taça do Estadual de 1990.

Com cada rival tendo conquistado um turno, o Campeonato Mineiro de 1990 foi decidido em jogo único. E com o Mineirão recebendo mais de 90 mil pagantes, o camisa 10 cruzeirense fez história pouco antes de se transferir para o Sporting, de Portugal.

A FICHA DO JOGO

CRUZEIRO 1
Paulo César; Balu, Gilson Jáder, Adilson e Paulo César Carioca; Ademir, Paulo Isidoro e Careca. Heyder, Hamilton (Roberson) e Edson. Técnico: Ênio Andrade

ATLÉTICO 0
Rômulo; Neto, Cléber, Paulo Sérgio e Paulo Roberto Prestes; Éder Lopes, Edu (Ailton) e Marquinhos; Nilton (Ryuler), Gérson e Éder. Técnico: Artur Bernardes

DATA: 3 de junho de 1990
LOCAL: Mineirão
MOTIVO: Decisão do Campeonato Mineiro de 1990

GOL: Careca, aos 10 minutos do segundo tempo

ARBITRAGEM: Márcio Rezende de Freitas, auxiliado por Raimundo Divino e José Eugênio
CARTÃO AMARELO: Paulo Isidoro, Paulo César Carioca, Careca e Hamilton (Cruzeiro); Éder, Neto, Edu e Cléber (Atlético)
PÚBLICO: 90.145
RENDA: NCz$ 8.368.735,00

MAIS HISTÓRIA

OUTRO JOGO: O Atlético era o grande adversário do Villa Nova na briga pelo título mineiro de1934. E teve a vida dificultada com esse empate diante do Palestra Itália (Cruzeiro), no Barro Preto. E a igualdade só foi conquistada no final, com um gol de Nicola, num confronto em que os palestrinos chegaram a alcançar a virada.

A FICHA DO JOGO

PALESTRA ITÁLIA 2
Geraldo; Mundico e Jovem; Caieira, Álvaro e Calixto; Pantuzzo, Zezé, Carlos Alberto, Bengala e Alcides. Técnico: Matturio Fabbi

ATLÉTICO 2
Armando; Justo e Ewnado; Jacir, Odilon e Mário Gomes; Lelo, Paulista, Darci (Guará), Nicola e Alemão. Técnico: Floriano Peixoto

DATA: 3 de junho de 1934
LOCAL: Estádio do Barro Preto
MOTIVO: Campeonato Mineiro

GOLS: Lelo, Bengala, Zezé e Nicola, aos 32 minutos do segundo tempo

ARBITRAGEM: Enéas Sgarzi (SP)
RENDA: 9:430$000

OUTRO JOGO: Num sábado à tarde, pois no dia seguinte a Seleção Brasileira jogaria pelas Eliminatórias, contra o Peru, em Lima, Atlético e Cruzeiro iniciam a decisão do Campeonato Mineiro de 2000.

E o Atlético, que já tinha vantagem na decisão, a amplia ainda mais vencendo por 2 a 1 e abrindo o caminho para o último Campeonato Mineiro do milênio.

A FICHA DO JOGO

ATLÉTICO 2
Veloso; Bruno, Márcio, Gilberto Silva e Ronildo; Valdir Benedito, Cleison, Lincoln (Célio Silva) e Ramon Menezes (Caíco); Guilherme e Marques. Técnico: Márcio Araújo

CRUZEIRO 1
André; Zé Maria, Cléber, Cris e Rodrigo (Muller); Donizete Oliveira, Ricardinho, Jackson e Paulo Isidoro (Zé Roberto); Fábio Júnior (Geovanni) e Oséas. Técnico: Marco Aurélio

DATA: 3 de junho de 2000
LOCAL: Mineirão
MOTIVO: Primeira partida da decisão do Campeonato Mineiro de 2000

GOLS: Marques, aos 24 minutos do primeiro tempo; Guilherme, aos 11, e Geovanni, aos 44 minutos do segundo tempo

ARBITRAGEM: Paulo César de Oliveira (SP), auxiliado por José Eug~enio (MG) e Antônio Oliveira (MG)
CARTÃO AMARELO: Lincoln e Cleison (Atlético); Ricardinho e Jackson (Cruzeiro)
PÚBLICO: 4.146
RENDA: R$ 38.814,00

NASCIMENTO: Em Roma (Itália), em 1931, nasce Benito Romano Fantoni, filho do craque Ninão, primeiro grande ídolo do Palestra Itália (Cruzeiro) e que nesta época defendia a Lazio. Revelado na base do Cruzeiro, ele começou a fazer história pelo Atlético, onde foi campeão mineiro em 1956 e 1958.
Com a camisa cruzeirense, carregando a responsabilidade de representar a família Fantoni, a mais tradicional da história do clube, venceu o Campeonato Mineiro em 1960 e 1961.

NASCIMENTO: Em Tupacicoara (MG), em 1941, nasce Marcial de Mello Castro, o Marcial, um dos grandes goleiros da história do futebol mineiro. Revelado pelo Atlético, foi campeão mineiro pelo clube em 1962.
Titular da Seleção Mineira, campeã brasileira de 1963, chegou à Seleção Brasileira e logo depois foi jogar no Flamengo. Defendeu ainda o Corinthians. Depois de deixar o futebol, se dedicou à Medicina.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    🚓 Na quinta-feira, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, concedeu prisão domiciliar a Fabrício Queiróz, com o uso de tornozeleira eletrô...

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Com a proximidade da data em que devem ser registrados o maior número de casos, ele disse que o estado mineiro não deve perder pacientes por falta de atendimento médico. #Itat...

    Acessar Link